browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Até quando posso esperar para engravidar?

As mudanças na sociedade provocaram mudanças complexas de comportamento, especialmente entre as mulheres. Muitas optam hoje por investir em suas carreiras ou outros objetivos, antes de pensar em ter filho. Mas afinal, até quando uma mulher pode esperar para engravidar? 

Antes de responder essa pergunta, é importante entender um conceito: reserva ovariana. O número máximo de óvulos de uma mulher é observado quando ela ainda está na barriga da sua mãe, com 20 semanas de gravidez, com 6 a 7 milhões de óvulos. Ao nascimento, já são de 1 a 2 milhões. Na puberdade, quando a mulher começa a menstruar, são 300 a 500 mil óvulos. Aos 37 são 25 mil, e aos 51 anos, na menopausa, apenas mil óvulos. “Isso mostra que, mesmo antes de menstruar e se tornar potencialmente fértil, a mulher já perdeu grande parte dos seus óvulos. Ao longo da vida reprodutiva de uma mulher, isso significa em 300 ovulações; o resto dos óvulos sofre um processo de descarte chamado atresia”, explica a Dra. Carolina Andreoli. 

Os melhores anos reprodutivos de uma mulher estão na década dos 20 anos. Ao analisar dados históricos e estatísticas, observamos que a fecundidade da mulher cai gradualmente a partir dos 30 anos, de maneira mais significativa após 32 anos, e rapidamente após 37 anos. “A chance mensal de gravidez é de 20% aos 30 anos, e cai para menos de 5% quando a mulher atinge 40 anos. Além disso, as mulheres não permanecem férteis até a menopausa, e a vasta maioria delas já não consegue engravidar por volta dos 40 e poucos anos”, detalha Carolina. Essa constatação é válida tanto para ciclos naturais quanto para fertilização in vitro. 

“Apesar de histórias apresentadas pela mídia induzirem os casais a acreditar que poderão usar FIV para terem filhos, a ciência mostra que o avanço da idade feminina  reduz muito a quantidade e qualidade dos óvulos, diminuindo drasticamente as taxas de sucesso dos tratamentos de reprodução assistida. Para termos uma ideia, uma mulher submetida a FIV antes dos 35 anos tem em média 30 a 40% de chances de engravidar. Entre 35 e 37 anos, essa chance cai para aproximadamente 25%, e despenca para menos de 10% após os 40 anos”, completa a doutora. 

O que fazer então? O Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia (ACOG) elaborou algumas recomendações para que os médicos ginecologistas orientem suas pacientes:

  • Educar e aconselhar pacientes que desejam engravidar sobre o papel da idade na fertilidade
  • Investigar e tratar mulheres com mais de 35 anos que tenham falha em engravidar após 6 meses de tentativos
  • Investigar e tratar mulheres acima de 40 anos imediatamente

Após essa conversa com o ginecologista, alternativas como congelamento de óvulos ou FIV podem ser discutidas e planejadas, tudo para garantir a realização do sonho de ser mamãe.

ACOG: https://www.acog.org/Clinical-Guidance-and-Publications/Committee-Opinions/Committee-on-Gynecologic-Practice/Female-Age-Related-Fertility-Decline?IsMobileSet=false#figure1

ASRM:

https://www.reproductivefacts.org/news-and-publications/patient-fact-sheets-and-booklets/documents/fact-sheets-and-info-booklets/age-and-fertility/

CDC:

https://www.cdc.gov/art/pdf/2016-report/ART-2016-National-Summary-Report.pdf#page=30

Até quando posso esperar para engravidar?

As mudanças na sociedade provocaram mudanças complexas de comportamento, especialmente entre as mulheres. Muitas optam hoje por investir em suas carreiras ou outros objetivos, antes de pensar em ter filho. Mas afinal, até quando uma mulher pode esperar para engravidar? 

Antes de responder essa pergunta, é importante entender um conceito: reserva ovariana. O número máximo de óvulos de uma mulher é observado quando ela ainda está na barriga da sua mãe, com 20 semanas de gravidez, com 6 a 7 milhões de óvulos. Ao nascimento, já são de 1 a 2 milhões. Na puberdade, quando a mulher começa a menstruar, são 300 a 500 mil óvulos. Aos 37 são 25 mil, e aos 51 anos, na menopausa, apenas mil óvulos. “Isso mostra que, mesmo antes de menstruar e se tornar potencialmente fértil, a mulher já perdeu grande parte dos seus óvulos. Ao longo da vida reprodutiva de uma mulher, isso significa em 300 ovulações; o resto dos óvulos sofre um processo de descarte chamado atresia”, explica a Dra. Carolina Andreoli. 

Os melhores anos reprodutivos de uma mulher estão na década dos 20 anos. Ao analisar dados históricos e estatísticas, observamos que a fecundidade da mulher cai gradualmente a partir dos 30 anos, de maneira mais significativa após 32 anos, e rapidamente após 37 anos. “A chance mensal de gravidez é de 20% aos 30 anos, e cai para menos de 5% quando a mulher atinge 40 anos. Além disso, as mulheres não permanecem férteis até a menopausa, e a vasta maioria delas já não consegue engravidar por volta dos 40 e poucos anos”, detalha Carolina. Essa constatação é válida tanto para ciclos naturais quanto para fertilização in vitro. 

“Apesar de histórias apresentadas pela mídia induzirem os casais a acreditar que poderão usar FIV para terem filhos, a ciência mostra que o avanço da idade feminina  reduz muito a quantidade e qualidade dos óvulos, diminuindo drasticamente as taxas de sucesso dos tratamentos de reprodução assistida. Para termos uma ideia, uma mulher submetida a FIV antes dos 35 anos tem em média 30 a 40% de chances de engravidar. Entre 35 e 37 anos, essa chance cai para aproximadamente 25%, e despenca para menos de 10% após os 40 anos”, completa a doutora. 

O que fazer então? O Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia (ACOG) elaborou algumas recomendações para que os médicos ginecologistas orientem suas pacientes:

  • Educar e aconselhar pacientes que desejam engravidar sobre o papel da idade na fertilidade
  • Investigar e tratar mulheres com mais de 35 anos que tenham falha em engravidar após 6 meses de tentativos
  • Investigar e tratar mulheres acima de 40 anos imediatamente

Após essa conversa com o ginecologista, alternativas como congelamento de óvulos ou FIV podem ser discutidas e planejadas, tudo para garantir a realização do sonho de ser mamãe.

ACOG: https://www.acog.org/Clinical-Guidance-and-Publications/Committee-Opinions/Committee-on-Gynecologic-Practice/Female-Age-Related-Fertility-Decline?IsMobileSet=false#figure1

ASRM:

https://www.reproductivefacts.org/news-and-publications/patient-fact-sheets-and-booklets/documents/fact-sheets-and-info-booklets/age-and-fertility/

CDC:

https://www.cdc.gov/art/pdf/2016-report/ART-2016-National-Summary-Report.pdf#page=30
Agendamentos abertos, ligar 996881183 (celular e WhatsApp)
Avenida Independência 1183 sala 808
Estacionamento próprio no prédio (SafePark)
© 2014 Carolina Andreoli - Todos os Direitos Reservados. CREATIVE & DESIGN BY : RTWEB&DESIGN / POADESIGN - Internet Soluctions.